sábado, 26 de novembro de 2011

Seja feita a minha vontade

Aquela senhora leva uma reluzente Ferrari à um colecionador.
Depois de inspecionar o carro, durante uma boa meia-hora, o colecionador vira-se e diz:
-O carro está ótimo! Quanto a senhora está pedindo por ele?
-cem reais! -Responde a mulher em alto e bom som.
-Cem mil reais a senhora quer dizer?
-Não senhor? -São cem reais mesmo!
-Mas isso é um absurdo! -espanta-se o colecionador- Esse carro vale no mínimo uns noventa mil.
-Estou apenas cumprindo a vontade do meu falecido marido.
-Eu não posso acreditar no que estou ouvindo! Ele pediu para que a senhora vendesse por cem reais?
-Mais ou menos-. leia aqui no testamento. Parágrafo 16.
O sujeito apanhou o testamento que ela lhe entregou e leu: "Vender a minha Ferrari e doar a quantia resultante da venda à minha fidelíssima secretaria Suzana de Oliveira"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...